Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pensamento Fantasma

No fim de contas um palhaço.

por Alma Penosa, em 05.03.17

Eu desde sempre que fui de bom humor, gosto de rir e fazer rir. Conquistei a confiança de muita gente com uma gargalhada, com uma piada. Quebra muita vez o gelo. Não sei ser de outra forma. Sou assim. Lembra-se da tal colega do qual me apaixonei um bocadinho? Pois bem, numa rara situação a sós confessei "Estou triste.. Não te verei no fim-de- semana.." Riu-se...eu repeli instantâneamente que estava a falar a sério...que isto era eu a falar a sério. Respondeu com um sorriso "Não parece..." É destruidor quando não nos levam a sério. Eu tenho culpa pela minha maneira de ser... Contudo, apenas para referir que não vi esperança. Talvez seja melhor ficar no meu canto, falar quando me falarem, ao invés de ser um eterno palhaço. A vida as vezes parece fazer troça de nós... Vou focar-me no que é importante..e o amor, há muito que deixou de o ser. Sinto-me um palhaço em vez de o ser...por acreditar em algo que já tinha enterrado. Siga...

Hoje apaixonei-me um bocadinho.

por Alma Penosa, em 02.03.17

Cheguei a casa cansado. Sensação ótima e isto sem ironias. A formação tem dado que falar e que fazer, e que estudar. Brutal. Nervoso miudinho por isto tudo estar a acontecer. No entanto não sou o único por lá, e por quem lá anda me captou a atenção desde o primeiro dia. É a simplicidade da maldita e sorriso doce que me destroi. Cuidado. Tenho de ter cuidado. Já tenho idade para saber que provavelmente não serei correspondido. A luta interna começa e chego à conclusão - Gosto dela. Olha, tu que não me lês...gosto de ti! Mas que porra...não passará disto que eu não deixo. Suprimir os pensamentos de querer o teu número...pedir para bebermos um café juntos e dizer...Quero conhecer-te...e já agora...Gosto de ti. Mas que porra...

Desculpas a vós.

por Alma Penosa, em 23.02.17

Cheguei a casa, sinto-me cansado. Iniciei há pouco tempo uma formação para trabalhar em part-time...perspectiva de emprego ao fundo do túnel...a part-time. Sinto-me triste. Gostava de chegar aqui e dar boas notícias, não que o part-time não seja uma boa notícia mas ouvi uns zuns zuns...vou ser provavelmente explorado. Como muitos são. Eu sei. Não quero ser mais especial ou menor que os outros. Eu...sou eu. Um gajo a tentar tentar encaminhar a sua vida como toda a gente..em Portugal. Talvez devesse ter estudado mais como diz a minha Santa Mãe, mas a vida encaminhou por onde teve de encaminhar e de arrependidos está o inferno cheio. Dificuldades todos nós temos, mas não deixa de ser "engraçado" que nas alturas de maior aperto, é que aparecem mais dificuldades. É a inspeção do carro, é o cabrão do portatil que está para dar o berro. Nestas alturas em que estou mais em baixo, penso que podia estar pior. Vejo cegos no metro, pessoas de cadeira de rodas, deficientes motores. Pessoas que tiveram azar..verdadeiros problemas, não que não vivam com dignidade, mas comparando, certamente que é mais complicado. Mas não estou aqui para comparar desgraças...vim porque já não escrevia há muito. As vezes é bom desabafar. Quero pedir desculpa a vós. Apenas porque os meus textos tem sido digamos, deprimentes. A vida não tem que ser só preocupação...mas quando ataca...é impossível ficar indiferente.

Fui Dispensado.

por Alma Penosa, em 19.01.17

Sempre é mais bonito do que dizer "Fui Despedido" não é? Infelizmente o que receava deu azo à realidade. As vendas baixam logo a empresa tem de fazer cortes no staff, logo quem está em regime de contrato temporário vai na volta em primeiro lugar, logo eu fui dispensado. Aos dias que passaram,tive elogios de clientes "Obrigado pelo teu profissionalismo..", agradeço com um sorriso pensando "Serviu-me de muito." O trabalho precário é simplesmente uma merda. Pergunto-me pelo o Karma incessantemente..Onde andas? Não que seja melhor que ninguém..nada disso. Apenas sabia bem ter boas notícias de vez em quando..não andar com este sentimento constante de insegurança. Passa-me pela cabeça emigrar...mas também...para onde? Não tenho conhecidos no estrangeiro como muitos fazem... Começa novamente a batalha de encontrar trabalho...da última vez foram 8 meses...a ver se não pego de juízo como quase tive da última vez. "Vais ver que encontras melhor" é o que ouço de todos...resta-me ter fé e acreditar que sim...que algo melhor irá surgir. So help me God.

Vou ser despedido.

por Alma Penosa, em 09.01.17

Não quer dizer que seja hoje ou amanhã, mas realmente o feeling anda assim por estes lados. O sentimento é assustador. Veio o Natal e a passagem de ano, ao dia de hoje já me encontro praticamente falido. Tenho de ter cuidado conduzir, comer só em casa e tento nem pensar quando começar a ficar sem tabaco. Faltam três semanas para receber e isto já está assim. Que belo 2017 não é verdade? A realidade é que a culpa é minha...e mais realidade é que penso que nunca tive tanto na mó de baixo como estou neste momento. Não tenho dinheiro, não tenho amor...resta-me a fé...o pior é que a fé neste momento não me dá uma luz de esperança neste estado de escuridão.

O gajo e a Austrália

por Alma Penosa, em 03.01.17

Depois de me enfardar no belo do Burguer King, bebo o meu café no espaço próprio no centro comercial É um lugar singelo onde se pode fumar e todos estão agarrados ao telemóvel. Logicamente que não sou o único a pensar nisso, portanto de lés a lés quando la chego, estão as mesas todas ocupadas.

Enquanto aguardava pela minha vez um gajo passou à minha frente. Olhei com ar de poucos amigos e ele automaticamente ofereceu a cadeira ao lado. Por mim tudo bem, sentei-me e agradeci a disponibilidade de partilha. Começou a falar comigo como se me conhecesse há anos. Eu em modos de boa educação fui de ouvidos.

Mas santo Deus...o gajo falava pelos cotovelos. A minha paciência é grande mas esgotou-se rapidamente...e porque "tive quase a ir para a Austrália e ganhar não sei quantos mil ao ano...e gastei quase 9 mil no visto e no fim não fui.." Não compreendo tanta partilha, um estranho a falar da sua vida a outro estranho. Incessante dei comigo a pensar como fazer para sair dali...e fiz o que toda a gente faz. Olhei para o telemóvel, interrompi de repente o discurso moroso..."Bom...tenho de ir..." Acenou que sim... Cumprimentei o gajo sem revelar o meu nome e fui embora sem saber o dele.

Talvez houvesse a necessidade de querer ser ouvido...não queria ser ele apenas mais com o telemóvel na mão onde as pessoas não interagem entre si mas preocupam-se mais com o mundo virtual. E quantos somos assim? Com falta de alguém que nos ouça e não ficar escravos da tecnologia...e da solidão.

Inveja do Cristiano Ronaldo

por Alma Penosa, em 27.12.16

Não tenho nenhuma. Sim ter dinheiro é porreiro e Deus sabe que ao fim do mês seria mais reconfortante não andar com os tomates apertados a 5 dias de receber. Dinheiro é dinheiro, vem e fode-se. Ou poupa-se a jeito de andar a pão e água até meio do mês ou vai-se usando e acreditando que dura até ao fim do mês. Todos os meses é uma aventura. Outro dia em jantar de família, veio o meu primo e a namorada. Ela. Captou-me pela simplicidade, simpatia e beleza. "Ainda existem mulheres assim?" pensei eu...e um sentimento surge de mim para com o João (meu primo), vou chamar de inveja. Penso que não existe outra definição. O meu primo é um porreiro e merece tudo o que que a vida lhe der de bom. A merda do sentimento continua, ao ponto em que apetece levantar da mesa ir ao encontro do João e dizer: "Foda-se! Diz-me...onde a encontraste? Opa quero igual...diz-me..vendeste a alma? Ela por acaso não tem uma irmã gemea? Por favor...diz-me...suplico-te..diz-me..."

Mas não. mantenho a seriedade e sorrio...sou apenas mais um triste que não encontra quem precisa. E falam-me do Cristiano Ronaldo..ai e tal ele tem dinheiro, ai e tal e é famoso...

Tenho inveja do meu primo...um dos pecados mortais. Resta-me voltar à minha vida monótona...esquecer namorada do meu primo...trabalho. Amanhã recomeço no trabalho...ocupa-me a cabeça.

Bicho Nojento

por Alma Penosa, em 27.12.16

Talvez possa chamar de "bicho nojento" este ser que cá dentro se encontra , e que de lés a lés manifesta-se em mim com vontade de escrever de vez em quando.

Talvez porque durante o dia a dia surgem em mim pensamentos que na minha cabeça ecoam, disturbam ou não. Apetece escrever, deixar uma espécie de diário que futuramente possa relembrar estes tenues desvarios , factos só meus, que por muito ridículo sejam, não deixam de fazer sentido para mim. Um fantasma é solitário. É uma afirmação minha, o que não quer dizer que não seja uma falácia. Faço eu as regras aqui foda-se.Passa portanto a ser a minha verdade. Sendo verdade, um fantasma é solitário. Sinto-me solitário. Este bicho nojento como lhe chamo, obriga-me a escreve-lo...e talvez seja um alívio. A solidão é companheira...talvez a única em que temos de abraçar para não nos perder-mos. Mas...chega de divagação. Amanhã é dia de regresso à cidade...eu que sou intrínseco da Aldeia. Recomece as preocupações, a azáfama das onomatopeias fora do quarto...o metro sombrio e o tempo que se tem que cumprir. Um 2016 filho da puta que não almeja um bom prenúncio para 2017. Por aqui vai-se aguentando. Vivendo...trabalhar para sobreviver...mas eu adoro enganar-me, e ao invés, digo viver. Um Feliz Natal a todos e boas entradas no ano que se aproxima. 2016...vai pra puta que te pariu.