Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pensamento Fantasma

O gajo e a Austrália

por Alma Penosa, em 03.01.17

Depois de me enfardar no belo do Burguer King, bebo o meu café no espaço próprio no centro comercial É um lugar singelo onde se pode fumar e todos estão agarrados ao telemóvel. Logicamente que não sou o único a pensar nisso, portanto de lés a lés quando la chego, estão as mesas todas ocupadas.

Enquanto aguardava pela minha vez um gajo passou à minha frente. Olhei com ar de poucos amigos e ele automaticamente ofereceu a cadeira ao lado. Por mim tudo bem, sentei-me e agradeci a disponibilidade de partilha. Começou a falar comigo como se me conhecesse há anos. Eu em modos de boa educação fui de ouvidos.

Mas santo Deus...o gajo falava pelos cotovelos. A minha paciência é grande mas esgotou-se rapidamente...e porque "tive quase a ir para a Austrália e ganhar não sei quantos mil ao ano...e gastei quase 9 mil no visto e no fim não fui.." Não compreendo tanta partilha, um estranho a falar da sua vida a outro estranho. Incessante dei comigo a pensar como fazer para sair dali...e fiz o que toda a gente faz. Olhei para o telemóvel, interrompi de repente o discurso moroso..."Bom...tenho de ir..." Acenou que sim... Cumprimentei o gajo sem revelar o meu nome e fui embora sem saber o dele.

Talvez houvesse a necessidade de querer ser ouvido...não queria ser ele apenas mais com o telemóvel na mão onde as pessoas não interagem entre si mas preocupam-se mais com o mundo virtual. E quantos somos assim? Com falta de alguém que nos ouça e não ficar escravos da tecnologia...e da solidão.

Inveja do Cristiano Ronaldo

por Alma Penosa, em 27.12.16

Não tenho nenhuma. Sim ter dinheiro é porreiro e Deus sabe que ao fim do mês seria mais reconfortante não andar com os tomates apertados a 5 dias de receber. Dinheiro é dinheiro, vem e fode-se. Ou poupa-se a jeito de andar a pão e água até meio do mês ou vai-se usando e acreditando que dura até ao fim do mês. Todos os meses é uma aventura. Outro dia em jantar de família, veio o meu primo e a namorada. Ela. Captou-me pela simplicidade, simpatia e beleza. "Ainda existem mulheres assim?" pensei eu...e um sentimento surge de mim para com o João (meu primo), vou chamar de inveja. Penso que não existe outra definição. O meu primo é um porreiro e merece tudo o que que a vida lhe der de bom. A merda do sentimento continua, ao ponto em que apetece levantar da mesa ir ao encontro do João e dizer: "Foda-se! Diz-me...onde a encontraste? Opa quero igual...diz-me..vendeste a alma? Ela por acaso não tem uma irmã gemea? Por favor...diz-me...suplico-te..diz-me..."

Mas não. mantenho a seriedade e sorrio...sou apenas mais um triste que não encontra quem precisa. E falam-me do Cristiano Ronaldo..ai e tal ele tem dinheiro, ai e tal e é famoso...

Tenho inveja do meu primo...um dos pecados mortais. Resta-me voltar à minha vida monótona...esquecer namorada do meu primo...trabalho. Amanhã recomeço no trabalho...ocupa-me a cabeça.

Bicho Nojento

por Alma Penosa, em 27.12.16

Talvez possa chamar de "bicho nojento" este ser que cá dentro se encontra , e que de lés a lés manifesta-se em mim com vontade de escrever de vez em quando.

Talvez porque durante o dia a dia surgem em mim pensamentos que na minha cabeça ecoam, disturbam ou não. Apetece escrever, deixar uma espécie de diário que futuramente possa relembrar estes tenues desvarios , factos só meus, que por muito ridículo sejam, não deixam de fazer sentido para mim. Um fantasma é solitário. É uma afirmação minha, o que não quer dizer que não seja uma falácia. Faço eu as regras aqui foda-se.Passa portanto a ser a minha verdade. Sendo verdade, um fantasma é solitário. Sinto-me solitário. Este bicho nojento como lhe chamo, obriga-me a escreve-lo...e talvez seja um alívio. A solidão é companheira...talvez a única em que temos de abraçar para não nos perder-mos. Mas...chega de divagação. Amanhã é dia de regresso à cidade...eu que sou intrínseco da Aldeia. Recomece as preocupações, a azáfama das onomatopeias fora do quarto...o metro sombrio e o tempo que se tem que cumprir. Um 2016 filho da puta que não almeja um bom prenúncio para 2017. Por aqui vai-se aguentando. Vivendo...trabalhar para sobreviver...mas eu adoro enganar-me, e ao invés, digo viver. Um Feliz Natal a todos e boas entradas no ano que se aproxima. 2016...vai pra puta que te pariu.